Página anterior    Melody Assistant    Página seguinte 
 

Introdução
Produtos
What's new ?
Manipulação
Notação
Introdução
Teoria Musical
Considerações gerais
Glossário
Modelos
Positionning
Discontinuous selection
Targets
Tie, slur and beam
Tablaturas
Pautas Multi-vozes
Color notation
Notação Gregoriana
Símbolos de Interrupção
Clave
Armadura
Formúla de compasso
Dinâmica
Andamento
Letras/Karaoke
Objectos livres
Textos especiais
Tipos de letra
Escutar
Dispositivos/scripting
Virtual Singer
FAQ
Licença de utilização
Ajuda Técnica
Apêndice
Impressão do Manual


Novo capitulo : Em Inglês :

 

Revisão da Teoria Musical

Glossário


A  B C D E G I M N O P Q S T V

Acento

Como a acentuação de uma língua falada, a acentuação musical caracteriza o modo como as notas são tocadas (fraseamento).
Assim, se encontrar :
  • uma linha curva horizontal unindo uma sucessão de notas diferentes chama-se ligadura de expressão (legato): para que o programa a reproduza correctamente, ajuste o tempo de duração destas notas para 100%.
  • uma linha curva horizontal sobre duas notas de alturas diferentes cuja segunda é mais curta que a primeira, enfatiza a primeira e deixa expirar a segunda como se fosse uma sílaba muda (utilize tempo de duração e velocidade).
  • um ponto colocado por cima ou baixo de uma nota, define a nota como destacada: ajuste o tempo de duração entre 50 a 80 %.
  • um ponto largo situado por cima ou baixo de uma nota, define a nota como picada (staccato): ajuste o tempo de duração entre 10 a 60 %.

Acidentes

Este é um símbolo que modifica a altura da nota ao qual está ligado, assim como todas as notas subsequentes no mesmo compasso na mesma linha (ou espaço) da partitura.
Existem cinco tipos de acidente:
 
  • Duplo-bemol (bb), baixa a nota um tom
  • Bemol (b), baixa a nota meio tom,
  • Bequadro, cancela o efeito provocado por um acidente (ou sustenido ou bemol da armadura da clave)
  • Sustenido (#) aumenta a nota de meio tom,
  • Duplo-sustenido (notado por uma pequena cruz x ) o qual aumenta a nota de um tom.

  •  
Quase sempre, as notas do mesmo nome mesmo sendo oitavas também são alteradas. No entanto esta opção pode ser mudada no menu “Configuração>Preferências Globais”.


Acorde

Um acorde é um grupo de notas emitidas simultaneamente.

Um acorde está sempre associado a uma escala e é constituído por pelo menos três notas:
 

  • a Tónica (ou fundamental) que dá o seu nome ao acorde.
  • a Terceira, que corresponde ao terceiro grau da escala da tónica. Então, a Terceira está 4 semitons acima da tónica.

  • Num acorde, a terceira pode ser chamada menor, ou seja situada um meio tom acima da sua posição natural.
    Neste caso, o acorde chama-se acorde menor e é simbolizado por m.
  • a Quinta, que corresponde ao quinto grau da escala (7 meios tons acima da tónica). A quinta pode ser justa, diminuída (1 semitom abaixo, simbolizada b5) ou aumentada (1 semitom acima, simbolizada 5+).
Com estas três notas, já é possível construir uma grande quantidade de diferentes acordes.

Exemplo :
um Dó maior é simbolizado por Dó, e é constituído por:

  • A tónica, C
  • A terceira (maior) situada 4 meios tons acima de Dó, ou seja Mi
  • A quinta (justa) situada 7 semitons acima do Do, ou seja Sol
Um acorde de Mi menor quinto diminuído (ou bemol quinto) é simbolizado por Mimb5 e é constituído por:
  • A tónica Mi
  • A terceira menor, situada 4-1=3 meios tons acima da tónica, ou seja Sol
  • A quinta diminuta, situada 7-1=6 meios tons acima da tónica, ou seja Sib (ou Lá# by enarmonia)
Há também acordes constituídos de mais de três sons. O programa maneja os acordes com quatro ou cinco sons, compostos, além da tónica, da terceira e da quinta,
  • a sétima (sétimo grau da escala) pode ser :
    • diminuído de um tom, simbolizada 6, situada 9 meios tons acima da tónica, e corresponde ao 6º grau da escala
    • menor, simbolizada 7, e situada 10 meios tons acima da tónica,
    • maior, simbolizada 7M, e situada 11 meios tons acima da tónica
  • A nona (nono grau da escala, corresponde ao segundo grau da oitava superior), e pode ser:
    • menor, simbolizada b9, e situada 13 meios tons acima da tónica,
    • maior, simbolizada 9, e situada 14 meios tons acima da tónica
    • aumentada, simbolizada 9+, e situada 15 meios tons acima da tónica.
Por exemplo,

Um acorde de Ré menor bemol quinta, sétima maior nona diminuída, é simbolizado por Remb5/7Mb9 será constituído por:

  • A tónica
  • A terceira menor, situada 4-1=3 meios tons acima de Ré, ou seja Fá.
  • A quinta diminuída, situada 7-1=6 meios tons acima do Ré, ou seja Láb (ou Sol#)
  • A sétima maior, situada 11 meios tons acima do Ré, ou seja Do# (ou Réb)
  • A nona diminuída, situada 13 semitons acima do Ré, ou seja 1 meio tom acima do Ré da oitava superior, ou seja Ré# (ou Mib)
Finalmente, todos os acordes podem ser  invertidos. A Inversão só muda a posição relativa das notas que o compõem, jamais o valor das notas.

Apogiatura

É uma pequena nota escrita antes de outra (nota principal) e cuja execução é feita à custa do tempo da nota principal ao qual está ligada.

Armadura de clave

As escalas são definidas pela sua tonalidade. Os diferentes graus da escala têm frequentemente sustenidos e bemóis. Para evitar escrever sempre estes símbolos de alteração, estes são agrupados por ordem de sucessão, imediatamente no início depois da clave.

Dó# maior ou Lá# menor
Estes símbolos devolvem valores de alteração para a linha ou espaço correspondente.

Para mais informações, leia Armadura de clave.
Veja também a tabela no capítulo  Questões Mais Frequentes

Arpejo

As notas de um arpejo acorde são executadas rápida e sucessivamente.

Barra

A barra é uma linha divisória vertical que separa os compassos entre si.

Bemol

Escrito antes de uma nota, baixa a sua altura de meio-tom.

Bequadro

Colocado antes de uma nota, cancela o bemol ou sustenido previamente definido (acidental ou fixo).

Compasso

O compasso é a divisão de uma composição em partes iguais. Um compasso subdivide-se geralmente em dois, três ou quatro partes, chamadas tempos. Todos os tempos de um compasso não têm a mesma importância quando são considerados do ponto de vista da acentuação:
 
  • Os tempos fortes são os primeiros tempos de cada compasso e o terceiro tempo do compasso de quatro tempos.
  • Os tempos fracos são todos os outros.
Os tempos dividem-se em varias partes. A primeira parte de um tempo é forte, os outros são fracos.

Para indicar ao intérprete qual o compasso, são colocados dois números justapostos após a clave.

O número superior indica a quantidade de valores que formam um compasso.
O número inferior indica a unidade de tempo destes valores (em fracções de semibreve).

Por exemplo, um compasso 3/4 é constituído por três quartos de semibreve: há três valores por compasso e cada valor é 1/4 de semibreve.

Para mais informação leia o Capítulo Compassos.

Dinâmica

A maioria dos instrumentos pode reproduzir um som forte ou fraco. O volume no qual as passagens são reproduzidas é chamado de ‘dinâmica’. O piano forte é assim chamado porque ele pode reproduzir sons fortes ou fracos, dependendo da força com que as teclas são batidas.
No caso dos sintetizadores, a intensidade de uma nota é chamada de ‘velocidade’ porque o volume da nota depende da rapidez com que os dedos batem nas teclas. Nesta versão do programa, a dinâmica pode ser configurada ajustando a velocidade das notas.
Para mais informação, leia o Capítulo Dinâmica.

Enarmonia

Numa escala, as notas são distribuidas por graus, separadas por intervalos. Fá por exemplo, compreende Fá, Sol, Lá, Sib, Dó, Ré, Mi, Fá
Mas a nota pode ser bemol ou sustenida, portanto duas notas diferentes podem indicar a mesma altura.
Considere a escala de Si. Esta compreende Si, Dó#, Ré#, Mi, Fá#, Sol# Lá# Si. Aqui será apropriado chamar à sétima nota Lá#, porque é exactamente a mesma que a quarta nota na escala de Fá, portanto é mais conveniente que chamá-la de Sib. Isto é Enarmonia.

Escala

A escala é uma sucessão notas, distribuídas por graus. Há oito graus por oitava.
Estes graus não estão espaçados igualmente entre eles: o intervalo entre graus determina o tipo de escala:

Para uma escala maior:
TOM, TOM, MEIO-TOM,TOM,TOM,TOM,MEIO-TOM

um meio-tom é o intervalo entre duas teclas sucessivas num teclado de um piano (incluindo as teclas pretas), ou duas casas sucessivas no braço de uma guitarra.

A escala pode começar em qualquer nota (Dó,Ré,Mi...).
O Primeiro grau, chamado tónico, dá o seu nome à escala.
  

Nome
Posição
T Tónica
2 Segunda 1 tom acima da tónica
3 Terceira Maior 2 tons acima da tónica
4 Quarta 2 tons e meio acima da tónica
5 Quinta 3 tons e meio acima da tónica
6 Sexta 1 tom e meio abaixo da oitava
7M Sétima Maior Meio tom abaixo da oitava
Oitava 12 meios-tons acima da tónica

Por exemplo, a escala de Dó maior será:
Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si

A escala de Mi maior será:
Mi, Fá#, Sol#, Lá, Si, Dó#, Ré#

Nos intervalos entres os graus pode-se encontrar :

3m     terceira menor        1 tom e meio acima da tónica
b5     quinta bemol           3 tons acima da tónica
5+     quinta aumentada    4 tons acima da tónica
7       sétima menor          1 tom abaixo da oitava


 


Nota : uma escala é chamada de maior quando o seu terceiro grau é maior, e chamada de menor quando o seu terceiro grau é menor.

Grupeto

É um grupo de três ou quatro pequenas notas escritas antes ou depois da nota principal. Como para a (apogiatura), a duração destas notas é tomada à duração da nota a que estão ligadas.

Inversão

No seu estado fundamental, as notas de um acorde são escritas da forma regular, ou seja, a nota tónica é a primeira, depois a terceira, a quinta e eventualmente a sétima e a nona.
Inverter um acorde é alterar a sua posição relativa assim a primeira nota pode ser qualquer uma das notas que o compõem.

A primeira inversão muda a tónica para a oitava seguinte. A terceira torna-se então a primeira nota do acorde.

A segunda inversão muda a tónica e a terceira para a oitava seguinte. A quinta torna-se então a primeira nota do acorde.

O mesmo principio pode ser aplicado para a terceira e quarta inversões (estas inversões só farão sentido se o acorde tiver quatro ou cinco notas).

Portanto, um acorde de Dó maior 7ª, de acordo com as suas possíveis inversões, será:

estado fundamental :     Dó Mi Sol Sib
1ª inversão :            Mi Sol Sib Dó
2ª inversão :           Sol Sib Dó Mi
3ª inversão :           Sib Dó Mi Sol

É também possível fazer uma inversão para baixo, ou seja mudar as notas para oitava seguinte mais baixa.

Aqui está um sumário da ordem relativa das notas atendendo à inversão dos acordes.

Nomenclatura:
F = Fundamental (root), 3 = terceira, 5 = quinta, 7 = 7ª, 9 = 9ª.

              Oitava    Oitava   Oitava
                -1         0        +1
                  .         .         .
estado fundamental .         F 3 5 7 9 .
1ª inversão        .         . 3 5 7 9 F
2ª inversão        .         .   5 7 9 F 3
3ª inversão        .         .     7 9 F 3 5
4ª inversão        .         .       9 F 3 5 7
1ª inv. para baixo . 3 5 7 9 F         .
2ª inv. para baixo .   5 7 9 F 3       .
3ª inv. para baixo .     7 9 F 3 5     .
4ª inv. para baixo .       9 F 3 5 7   .
 

Matiz

Matiz são os diferentes graus de força por que podem passar um ou vários sons.
Usando a dinâmica, pode distinguir a força com que as notas são tocadas.
A entoação pode ser mostrada usando a opção "Editar articulação" no menu de configuração da pauta (triângulo preto na margem esquerda da pauta).

Nota

Uma nota é um símbolo que representa simultaneamente uma duração e uma altura. A forma da nota representa a duração, a sua posição vertical na pauta representa a sua altura (frequência), e a sua posição horizontal o momento em que é tocada.

- Altura da Nota
Existem 7 notas, estas notas podem ser escritas de dois diferentes modos.
        C, D, E, F, G, A, B (Notação Inglesa)
ou Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si (Notação Latina)

Esta série de notas forma uma escala ascendente de sons do mais grave ao mais agudo. Uma oitava é a distância entre duas notas com o mesmo nome em duas séries consecutivas.

A posição vertical da nota indica qual é o seu grau na escala definido pela armadura de clave .

Se uma nota é precedida pelo símbolo # (sustenido), o som da nota é aumentado de meio tom, assim como todas as notas com o mesmo grau no compasso.
Se a nota é precedida do símbolo b (bemol), o som da nota é baixado de meio tom, assim como todas as notas com o mesmo grau no compasso.
Finalmente, o símbolo "bequadro" antes da nota cancela o efeito provocado pelo bemol ou sustenido.


Nota : a mesma nota pode às vezes ser escrita de diferentes modos. Veja Enarmonia.
- Duração da Nota
A forma da nota indica a sua duração. Por ordem decrescente :
  • semibreve,
  • minima = 1/2 da semíbreve,
  • semínima = 1/2 da mínima,
  • colcheia = 1/2 da semínima,
  • semicolcheia = 1/2 da colcheia,
  • fusa = 1/2 da semícolcheia...
Estas durações podem ser combinadas com ligar opção no menu Editar. Por exemplo, ligando um mínima a uma semínima, obtemos uma nota com a duração igual à soma da duração das duas notas ligadas.
Notas com Ponto de aumentação indicam uma duração de uma-vez-e-meia o valor da nota escrita. Por exemplo, uma semínima com ponto de aumentação tem a mesma duração de uma semínima mais uma colcheia.

É igualmente possível usar tercinas (a sua duração é igual a 2/3 da nota escrita)

- Notação :

As notas são escritas numa pauta.
As notas numa mesma coluna são tocadas ao mesmo tempo.
Para unir notas, marque-as com a ferramenta laço e escolha "Unir" no menu "Editar".
Notas unidas indicam ao executante que elas serão tocadas na mesma "frase". Neste caso unir substitui os colchetes.

Quando diferentes notas são unidas, determinar a sua duração torna-se um pouco mais complexo. Por exemplo :

Para determinar a duração duma determinada nota, olhe para o número de barras em contacto com as hastes. Isto indica a duração da nota.

É igualmente possível colocar símbolos indicando que a nota não é para ser tocada durante um determinado período de tempo. Estes símbolos chamam-se pausas.

Oitava

Oitava é o oitavo grau da escala .
Duas notas separadas por um número inteiro de oitavas têm o mesmo nome.
A escolha da oitava de um acorde determina a altura em que este acorde é reproduzido.
No programa, a oitava standard, que corresponde à altura a que são geralmente reproduzidas as notas da composição é a número 4.
Um valor mais elevado produz notas mais agudas, e um valor mais baixo notas mais graves.

Pausa

Pausas são símbolos que indicam que nenhum som é produzido durante o tempo da sua duração.

Dica : Nas paletas flutuantes, as pausas estão organizadas na mesma ordem que as notas. Portanto, a pausa de mínima está localizada na mesma posição da paleta que a nota mínima na sua paleta.

Pauta

Uma pauta é representada por cinco linhas horizontais, paralelas e equidistantes. As linhas são contadas de baixo para cima. Cada linha ou espaço entre linhas corresponde a um grau da escala.

Na clave de Sol, a primeira linha corresponde à nota Mi.
Na clave de Fá, a primeira linha corresponde a um Sol.

À esquerda da pauta, ao lado da clave, encontra a armadura e tipo de compasso.

Ponto de aumentação

Este símbolo, é colocado a seguir a uma nota, aumenta a sua duração em metade do seu valor. Por exemplo, uma semínima com ponto terá uma duração de uma semínima mais uma colcheia.
Um ponto também poderá ser escrito a seguir a uma pausa.

Quiáltera

A quiáltera define notas fraccionadas. É representada por dois numeros separados por (:)
A quiáltera a:b significa que "a notas serão reproduzidas no tempo normalmente usado por b notas."

Por exemplo, se definir uma quiáltera de 5:2, e usar colcheias, isto significa que 5 colcheias serão reproduzidas no tempo normalmente utilizado para reproduzir duas colcheias.

Na partitura, somente o primeiro número é apresentado para indicar uma quiáltera. Portanto, se vir escrito um 5 por cima da nota, não poderá determinar se a quiáltera é de 5:1,  5:2 (notas duas vezes mais longas) ou 5:4 (notas quatro vezes mais longas).
Só examinando o número de tempos do compasso poderá esclarecer esta ambiguidade!


Silêncio Fantasma

Esta notação é exclusiva dos programas Harmony e Melody, e não existe na teoria musical comum.
O silêncio fantasma é um silêncio usado aquando da escrita num compasso. Ele indica um compasso incompleto, no qual ainda podem ser escritas notas.
Aparece com a seguinte forma :

O silêncio fantasma mostra gráficamente o tempo que resta para preencher o compasso. Pode transformar silêncios fantasma em pausas usando o menu de configuração da pauta (triângulo preto na margem esquerda da pauta), opção "Converter Silêncios fantasma em pausas".


Dica : silêncios fantasma podem tornar-se invisiveis graças a uma opção em Configuração>Preferências Globais.

Som

Um som é a sensação produzida no ouvido pelo movimento vibratório de um corpo.
O som musical pode ser distinguido de um ruído porque é possível medir com exactidão a sua frequência.
O Som musical é definido por :
• A sua altura (ou frequência): mais ou menos oscilações num determinado período de tempo.
• A sua intensidade, ou força: depende da amplitude das oscilações. Isto é o volume do som.
• O seu timbre, que, distingue dois sons com a mesma frequência e intensidade, é o que torna o Dó do piano diferente do da flauta.

Sustenido

Escrito antes de uma nota, aumenta a sua altura de meio-tom.

Tablatura

Tablatura é um sistema de notação musical reservado aos instrumentos de cordas com trastos. Os trastos são usados para bloquear a corda em diferentes posições para obter diferentes frequências.
Ao contrário de um piano, por exemplo, um instrumento com trastos pode produzir a mesma nota em diferentes posições.
Executantes experientes podem encontrar com facilidade a posição correcta dos dedos. Outros podem usar a tablatura.
Toda a nota escrita numa pauta em notação 'regular' está associada com uma nota na tablatura.
Duração, ligadura, expressão ... continuam a ser lidas na pauta. A altura das notas é lida na tablatura onde as cordas e casas a ser pressionadas são mostradas.
Aqui está um exemplo para guitarra :

Os números indicam a posição dos espaços. 0 indica uma corda solta, 1 o primeiro espaço, etc.
O braço do instrumento está representado pela primeira corda em baixo.

As tablaturas podem ser também calculadas para várias harmónicas (diatónica, cromática…) em qualquer clave.
 

Tercina

Normalmente, a duração de uma nota pode ser dividida em duas partes iguais: por exemplo, uma semínima é constituída por duas colcheias. É a divisão binária.

A tercina divide uma nota em três partes iguais; é uma divisão ternária.

Três notas numa tercina têm o mesmo valor que duas notas fora da tercina. Portanto, três semínimas numa tercina têm o mesmo valor que uma mínima.
In fact, a triplet is simply a 3:2 tuplet.

Tessitura

Extensão ou âmbito de uma voz ou instrumento. A tessitura é geralmente definida pela nota mais baixa e mais alta que um instrumento pode reproduzir, ou pelo número de oitavas.

Tonalidade

É o conjunto de regras que regem a construção das escalas. Num sentido mais restrito, a tonalidade de uma composição é a escala na qual está escrita.

Transposição

Transpor uma composição é acto de a transcrever num tom diferente daquele em que está escrita.
Isto é feito adicionando ou subtraíndo o mesmo número de meios-tons em todas as notas da composição.

Trilo

Ornamento que consiste na alternância rápida de duas notas.

Velocidade

diferentes formas de emissão e ataque dos sons nos instrumentos musicais, criar um crescendo ou diminuendo, etc...
A articulação pode ser configurada usando o botão ‘Editar Velocidade’ no menu à esquerda da pauta.
Quando aplicado a uma passagem completa, as velocidades são chamadas de ‘dinâmica’.


(c) Myriad